O invisível molda o visível!

Atualizado: Out 22


Durante muito tempo, nós acreditamos que o nosso corpo e esta imagem que projetamos para o mundo, é resultado apenas de um composto genético presente em nosso DNA, mas, a medida em que a ciência evolui, torna-se cada vez mais evidente que somos mais do que matéria, em essência, somos energia que age sobre a matéria e a molda, sendo igualmente afetada por ela.

O invisível molda o visível e o visível molda o invisível!

Em um experimento científico, colocou-se areia sobre uma placa de metal lisa vibrando com diferentes frequências sonoras, a medida em que a frequência sonora era alterada, os grãos de areia se agrupavam de diferentes maneiras, dando forma a novas imagens (vídeo abaixo), revelando o efeito do invisível (vibração/frequência) sobre o visível (matéria/grãos de areia).

Se nós queremos descobrir o segredo do Universo, devemos pensar em termos de energia, frequência e vibração! _ Nicolas Tesla

A ciência moderna tem nos revelado que todo o Universo é formado por um composto de energia, frequências e vibrações e como parte do Universo, nós, seres humanos também funcionamos desta maneira, somos um composto energético moldado de acordo com as vibrações experimentadas e emitidas desde de nossa formação no útero materno e ao longo de nosso desenvolvimento na primeira infância, puberdade e vida adulta.

Deste modo, por mais incrível que pareça, podemos afirmar que, o nosso corpo não é simples resultado de uma herança genética, mas sim, de nossas experiências que afetaram a nossa vibração energética e portanto afetaram o formato do nosso corpo.

Wilhelm Reich, psicanalista alemão contemporâneo a Freud e autor da obra Traços de Carácter e Alexander Lowen, médico que desenvolveu a teoria da bioenergética, teorizaram que mente e corpo são uma coisa só, portanto, tudo o que é experimentado pela mente afeta o corpo, definindo a sua forma e saúde e o oposto também é verdadeiro, as intervenções que fazemos sobre o nosso corpo, podem afetar as nossas emoções, comportamentos e saúde.

Com base na teoria dos Traços de Carácter de Reich, no ano de 2017, pesquisadores brasileiros, entre eles a Dra. Vanessa Cesnik, doutora em psicologia pela USP e integrante do comitê científico da WAS, Associação Mundial de Saúde Sexual, desenvolveram a metodologia de análise comportamental O Corpo Explica, que se propõe a explicar o perfil de cada individuo com base em sua estrutura corporal.

A técnica se baseia, justamente, nesta compreensão da mente como propulsora de vibrações que afetam a forma do corpo físico.

Processo de Mielinização


Ao longo dos primeiros seis anos de vida, nosso sistema nervoso esta em formação, passando por um processo chamado de mielinização da medula. Ao longo desse processo, o sistema nervoso envia ao corpo sinais que orientam como deve ser o formato de determinadas partes do corpo, como cabeça, olhos, boca, tronco, quadril e pernas.

Estes sinais se formam a partir de sensações, percepções e vivências da criança ao longo de cada etapa do seu desenvolvimento e mielinização da medula. A medida em que este processo avança, diferentes traços de carácter são desenvolvidos e alguns deles acentuados de acordo com os sinais emitidos pelo sistema nervoso e deste modo, o formato do corpo se dará a partir destes traços de carácter, de modo que o corpo e a mente, tornam-se reflexo um do outro.

Corpo e mente são uma coisa só! _ William Reich

Para entendermos melhor, como a nossa mente esta dando forma ao nosso corpo, é importante compreendermos que os neurônios são transmissores de informações que promovem estímulo em outros corpos celulares, para que estes adotem alguma ação. Esta comunicação é feita por meio de sinapses elétricas. O sistema elétrico do corpo humano, é portanto, formado por um conjunto neurônios.

Nascemos com aproximadamente 76 bilhões de neurônios, o recém-nascido cria até 1000 sinapses neurais por segundo para receber novas informações e aprender com elas a interagir com o meio ambiente. No entanto, todas estas conexões que vão se formando a partir das sensações, percepções e vivências do feto, do bebê e da criança, precisam passar por um processo de mielinização, quando a Bainha ou Capa de Melina será construída, consolidando aquela sinapse neural e assim aumentando a sua no funcionamento do organismo.

As as sinapses que serão mielinizadas, são aquelas que resultam de sensações, percepções e vivências experimentadas de forma mais recorrente, as demais, serão eliminadas pelo processo de Polda Neural, que é um processo de seleção e descarte de sinapses não utilizadas.

De modo que, o maior estimulo recebido ao longo de nossa formação, é aquele que de fato molda o nosso corpo e a nossa mente. É no processo de Mielinização, ou seja, de construção desta Capa de Melina, que as sinopses neurais realizadas são consolidadas, este processo começa no topo da cabeça e segue até o final da coluna vertebral, do centro para as laterais, formando os cinco traços de caráter: Esquizoide, Oral, Psicopata, Masoquista e Rígido.


Quando estamos no útero materno, embora o hipocampo - responsável por arquivar memórias, ainda não esteja totalmente mielinizado, o Sistema Límbico, armazena todas as experiências vividas ao longo de nossa formação. Justamente por não termos o hipocampo totalmente desenvolvido, não seremos capazes de nos lembrar de todas estas experiências de forma consciente, no entanto, todas elas estarão registradas em nosso inconsciente e terão afetado a forma de funcionamento da personalidade e portanto, a estrutura física do nosso corpo, automatizando o nosso sistema de defesa e os nossos mecanismos de ação e reação, e assim, determinando o nosso comportamento diante das circunstâncias da vida.

Os pesquisadores brasileiros deste tema, afirmam que existem de fato muitas coisas que nós herdamos de nossos pais, como a cor da nossa pele, do olho, do cabelo. No entanto, o nosso fenótipo é determinado, não apenas por genética, mas pela influência de fatores externos e a forma como reagimos a estes fatores ao longo do nosso processo de formação.

Você é quem você precisa ser!

Portanto, a nossa mente e o nosso corpo, adotou o formato necessário para sobreviver aos perigos que identificou em nossos primeiros anos de vida. Somos, então, resultado de nossas sensações, percepções e vivências.


Traços de Caráter Esquizoide


Como vimos, a primeira etapa da mielinização da medula tem inicio na cabeça e ocorre durante o período de gestação no útero materno, são as sensações, percepções e vivências experimentadas pelo feto neste ambiente uterino que irão acentuar ou não o traço de caráter esquizoide.

Nesta fase, a criança se movimenta por espasmos e sente a compressão e o desconforto do útero materno em reação aos seus movimentos, podendo interpretar esta sensação como uma rejeição do mundo a sua existência, pois, sempre que se movimenta, percebe uma reação negativa a sua existência e o seu mundo (útero materno), fica desconfortável. Mulheres que enfrentaram uma gravidez desafiadora, em momentos conturbados, ou mesmo que enfrentam uma gravidez indesejada, podem involuntariamente, promover esta reação de compressão sobre o útero e a consequente sensação de rejeição gerada no feto.

A recorrência desta sensação de rejeição experimentada pelo feto, resultará no medo de existir, e o conduzirá a fuga para uma existência no Universo Mental, evitando movimentos e o uso do seu corpo físico.

Este indivíduo tenderá a desenvolver um personalidade com predominância racional, em que acessa a imaginação e a criatividade, sobrevivendo em uma espécie de realidade paralela, em um universo imaginativo onde a sua existência não ocupa espaço e não interfere no mundo real.

Como resultado, o corpo terá uma estrutura que destaca a cabeça, sendo todo o corpo mais magro, sem musculatura, com pernas finas e cabeça grande e projetada para frente.


>> Por se sentir REIJADO o esquizoide sente MEDO de existir, e para não ser rejeitado novamente existe na "caverna interna" em um mundo imaginativo, mental e paralelo.


Traço de Caráter Oral

A segunda etapa da mielinização da medula acontece na região cervical e ocorre durante o período de amamentação do bebê, são as sensações, percepções e vivências experimentadas pelo bebê neste período que irão acentuar ou não o traço de caráter oral.

O bebê esta em seu primeiro ano de vida e ganhou controle da boca e do maxilar, bem como sensações gustativas, olfatória, auditiva e de tato. É quando o bebê esta sentindo o mundo, experimentando os seus cinco sentidos e descobrindo um universo de sensações.

Nesta fase é a criança é totalmente dependente da mãe e aprende a comunicar as suas necessidades de alimento e cuidados através do choro.

Ocorre, que por vezes, o seu choro não foi capaz de comunicar com clareza a sua necessidade, ou mesmo comunicando, ela não foi devidamente atendida, então, esta criança que ainda é tão vulnerável e dependente se sente abandonada e desemparada pela figura materna.

Isto pode ter acontecido porque quando a criança chorava a sua mãe não entendia que se tratava de forme, e dava colo, ou dava peito, quando a criança sentia frio ou calor, ou tinha algo na roupa incomodando. De modo que a criança pode ter recebido excesso de alimento sempre que chorava por outros motivos ou falta de alimento ou cuidados quando pedia por eles com seu choro.

Se esta sensação de desamparo e abandono for experimentada de forma recorrente pelo bebê, será mielinizado o traço de caráter oral, que resultará em um comportamento predominantemente emocional, em pessoas mais sensíveis que são movidas pelo universo sensitivo do toque, cheiro, sons, visões e sensações, o que as tornará extremamente expressivas e comunicativas. Já que em sua leitura, o abandono aconteceu por não haver uma conexão profunda e efetividade na sua comunicação.

Conexão e comunicação serão justamente os maiores recursos das pessoas com este traço de caráter.

No corpo, este traço trará um aspecto infantilizado e fofinho, com traços arredondados que remetem a um bebê, são corpos macios, gostosos de serem abraçados, que atraem as pessoas para perto como se pedissem colo, cuidado e afeto.


>> Por se sentir DESAMPARADO, o oral sente TRISTEZA e para não ser desamparado/abandonado novamente se conecta com as pessoas e se comunica de forma efetiva.

Traço de Caráter Psicopata

A terceira etapa da mielinização da medula, acontece na região torácica e ocorre quando o bebê tem entre um e dois anos de idade e começa ter as suas primeiras interações com os pais, verbalizando as suas primeiras palavras. São as sensações, percepções e vivências experimentadas pelo bebê neste período que irão acentuar ou não o traço de caráter psicopata.

Nesta fase, o bebê esta começando a andar, falar e começa a se tornar independente, já consegue manipular objetivos como as mãos, consegue segurar copos e colheres para se alimentar e percebe o mundo de forma mais individualizada e autônoma, de modo que o bebê não se sente mais parte da mãe, mas começa a se reconhecer como um indivíduo.

Os pais, tendem a achar graça nas coisas que os filhos fazem nesta fase e pedem para repetir os gracejos, filmam, exibem para os amigos e familiares e gratificam o bebê com sorrisos, beijos e validações por aquilo que ele faz que os agrada. Esta troca de gracejos ou comportamentos desejados por validação dos pais, gera no bebê a sensação de que esta sendo manipulado, de que para receber atenção e carinho precisa fazer algo que agrade aquele adulto, logo, ele é amado pelo que faz e não por sua simples existência.

O bebê aprende a estabelecer relações de troca para conseguir o que quer, como não se sente visto a menos que faça algo interessante, se esforça para fazer coisas que o leve a conseguir atenção e receber o afeto que deseja.

O indivíduo com predominância deste traço de caráter, tenderá a enxergar o mundo e as pessoas como espaços de negociação e troca, sempre avaliando o que precisa oferecer para obter o que deseja e assim desenvolvendo a habilidade de manipular as pessoas para obter grandes resultados, afinal, aprendeu que quando faz coisas significativas se torna relevante e é amado.

O corpo do psicopata pode ser difícil de decifrar, justamente por sua capacidade de manipular, tende a ter uma aparência de "cameleão", podendo apresentar um pouco de cada traço, e assim navegar entre os diferentes comportamentos, mas, predominantemente o seu corpo terá aspectos triangulares.


>> Por se sentir MANIPULADO, o psicopata relaciona a sua relevância e potencial para ser amado a sua performance e portanto, acessa a sua ALEGRIA para agir de forma positiva e contagiante afim de negociar e persuadir para obter os resultados que deseja.


Traço de Caráter Masoquista

A quarta etapa da mielinização da medula, acontece na região lombar e ocorre quando o bebê tem entre dois anos e meio e três anos e meio de idade, é quando o bebê desenvolve a musculatura do quadril e das pernas, e passa a ter mais força nesta região. Esta é a fase anal, em que o bebê esta em processo de desfralde. São as sensações, percepções e vivências experimentadas pelo bebê neste período que irão acentuar ou não o traço de caráter masoquista.

Nesta fase em que a musculatura da região lombar ainda esta em desenvolvimento, apesar de já estar caminhando, o bebê ainda não tem controle total do esfíncter anal e mesmo estando em processo de desfralde, ainda podem fazer coco nas calças. O bebê já percebe e interage com o mundo ao seu redor, e quando é repreendido por ter feito coco nas calças ou quando falam publicamente disto, a criança se sente humilhada por ter feito "merda" e isto ter sido visto, comentado ou repreendido publicamente.

Este bebê que se sentiu criticado, percebe que existe uma expectativa de que ele aja de forma diferente, então, ele passa a forçar a musculatura para segurar fezes e urina, pois não quer fazer "merda" e se sentir exposto novamente.

Estes indivíduos, com predominância do traço de caráter masoquista, tenderão a ser pessoas comedidas, controladas, metódicas e planejadas, que prestam atenção aos detalhes e são muito precavidas, pois querem evitar que algo dê errado, que sejam pegas em momentos negativos e venham a se sentir expostas e humilhadas novamente. Acabam desenvolvendo a capacidade de reter sentimentos negativos, de suportar cargas pesadas, estão sempre se controlando, tendem a se isolar e participar de grupos mais seletos para se resguardar da exposição.

O corpo do masoquista, tenderá a apresentar formas mais retas e quadradas, remetendo a força e controle.


>> Por ter se sentido HUMILHADO, o masoquista sente RAIVA e usa sua força para manter a si e as circunstâncias sob controle, evitando exposição.


Traços de Caráter Rígido

A quinta e última etapa da mielinização da medula acontece na região sacral e ocorre quando a criança esta na puberdade e os seus órgãos sexuais estão ganhando forma adulta. São as sensações, percepções e vivências experimentadas pela criança neste período, que irão acentuar ou não o traço de caráter rígido.

Nesta fase, a criança percebe que nas relações humanas existe a formação de pares, a criança então, tenta construir um par com o seu progenitor do sexo oposto (pai ou mãe), mas, se sente trocada, excluída ou traída por este progenitor, que preferiu fazer outras coisas ou estar com outras pessoas do que estar com esta criança. Seu par escolhido, já tem um par, então, esta criança passa a triangular na relação com o seu progenitor e o par dele, mas, se sente a parte mais fraca desta triangulação, a parte excluída.

Esta criança não quer mais se sentir excluída ou traída, então aprende a tornar-se sedutora, a se destacar em tudo o que faz, torna-se competitiva e busca sempre ser campeã, vencer, chamar atenção, pois quer ser a mais relevante, a melhor opção, para nunca mais ser trocada novamente.

O corpo do rígido tende a ter simetria e equilíbrio entre as formas, o famoso formato ampulheta para as mulheres. São portanto, pessoas bonitas, atraentes e com alta energia sexual, os verdadeiros sexy appel, os galãs do cinema mundial.

Também são pessoas que por ter a traição como dor existencial, tem grande dificuldade de se entregar e sempre buscam uma segunda opção na vida, na carreira e nos relacionamentos, o que tende a deixá-las divididas e cheias de dúvidas.

No entanto, são grandes vencedoras, pessoas determinadas que buscam sempre o primeiro lugar em tudo o que são e fazem.


>> Por ter se sentido TRAÍDO, o rígido não quer mais ser INDIFERENTE, quer ser notado e para isto desenvolve um alto poder de sedução e conquista.


Dor ou Recurso?

De acordo com as exigências do ambiente e as sensações, percepções e vivências experimentadas pelo indivíduo adulto, determinados traços de caráter podem ser acentuados ou neutralizados, afim de suprir as necessidades de sobrevivência física e emocional do indivíduo naquele momento. Desta forma, ao longo da vida adulta, o indivíduo, pode sim experimentar mudanças no formato do seu corpo, porém, normalmente os picos de traços de carácter são o mesmo que foram predominantemente mielinizados nos primeiros anos de vida.

Portanto, é importante considerarmos que os traços de caráter estão relacionados a uma dor existencial que acompanhará cada indivíduo ao longo da vida, daí a importância de termos consciência e um entendimento claro desta dor existencial, afim de não sermos guiados por ela, vivendo limitações e frustrações, mas, acessarmos o recurso que cada traço de caráter produziu em nós, afim de obtermos os melhores resultados nas diferentes áreas de nossa vida.


Neste processo de substituir dor existencial por recurso, é fundamental ampliarmos o entendimento de cada um dos traços e a sua predominância em nosso funcionamento, para desta forma sermos capazes de identificar quais são os melhores ambientes, profissões e circunstâncias que serão favoráveis para acessarmos todo o nosso potencial e evitarmos o estimulo a nossa dor existencial.

Muitos de nós, estão há tanto tempo vivendo em um ciclo de repetição da dor existencial, seja ela rejeição, abandono, manipulação, humilhação ou traição, que sequer conhecemos os nossos potenciais de criação, inovação, conexão, comunicação, força, planejamento, sedução e conquista.


Quem vive na dor de seus traços, prova sofrimento, mas, quem acessa os recursos de seus traços de caráter, prova conquista, realização pessoal e profissional.

Podemos concluir, portanto, que o processo de acessar os recursos internos, é um processo de tratamento de uma "distrofia", em que é preciso resgatarmos traços atrofiados pela falta de acesso aos recursos e excesso de acesso a dor.

Talvez, você nem saiba todos os potenciais que possui e quais recursos foram mielinizados no seu corpo, porque a sua experiência de vida só te permitiu acessar a dor. No entanto, neste momento, você ganhou consciência destes potenciais e pode portanto, fazer escolhas uma vez que não esta mais limitado pela ignorância.


Todos nós, somos um composto destes cinco traços de caráter, que de acordo com as nossas experiências se formaram com maior ou menor intensidade em nossa mente e em nosso corpo. Ao compreendermos quais sãos os nossos traços de caráter predominantes, compreendemos a nossa história de vida com maior clareza, as nossas dores existências e tendências comportamentais, o que favorece um processo de cura interior em que saímos da dor para acessar os nossos recursos internos.

Através da Analise Corporal, é possível compreender o percentual de cada traço de caráter que compõem o nosso corpo e traçar um plano de desenvolvimento pessoal e ações para potencializar os nossos resultados na vida, na carreira e nos relacionamentos.


Quer viver esta experiência? Agende a sua análise corporal e permita-se viver no recurso!


Em amor,