O poder da autenticidade

Atualizado: Out 1


Uma pesquisa realizada por Jay Neblick com mais de 197 mil pessoas ao longo de 7 anos, em 23 países e publicada pela Innermetrix Brasil, revelou que aproximadamente 60% da população mundial está desmotivada, sem paixão, frustrada com o seu desempenho no trabalho e com a sensação de estarem presas e sufocadas.

Jay, então, se propôs a compreender qual era a diferença que fazia com que os outros 40% da população não se sentissem dessa maneira. Ele descobriu que as duas características fundamentais das pessoas que se sentiam motivadas, energizadas, com alta performance e engajamento eram AUTOCONSCIÊNCIA e AUTENTICIDADE. Sendo que autoconsciência seria um autoconhecimento profundo, uma verdadeira compreensão das próprias forças e virtudes, enquanto que autenticidade seria apropriar-se desse conhecimento e empregar tal força em sua vida pessoal e profissional. Perceba que a primeira característica se relaciona ao saber e a segunda ao ser. Então, é preciso que saibamos quais são as nossas forças, mas que também as coloquemos em prática.

A pesquisa também apresentou alguns indicadores que revelam uma relação direta entre o nível de autoconsciência e autenticidade e a performance de um indivíduo.

Isto significa que quanto maior conexão você tiver com suas forças e virtudes e quanto mais aplicá-las em tudo o que você é e faz, maior performance você terá na vida e na profissão.

Em outras palavras, o antidoto para a desmotivação, para a falta de paixão, para a frustração e o baixo desempenho consiste em acessar suas habilidades inatas.

Quando você opera baseado em suas forças, quando escolhe atividades, lugares e pessoas que te possibilitam estar em harmonia com quem você realmente é, você promove um estado de coerência interna que gera motivação, engajamento e bem-estar, por consequência, você tende a experimentar de forma mais recorrente a sensação de felicidade.

Portanto, neste contexto, o conceito de autenticidade não é sobre ser igual ou diferente, exótico ou uma essência romantizada, mas sobre ser você mesmo, com todas as suas características e singulares, é sobre conhecer-se por completo e construir caminhamos que favoreçam o emprego das suas habilidades inatas.


Um outro estudo, apresentando pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi, em sua obra FLOW, revelou que existe uma relação direta entre o uso dos talentos naturais a sensação de felicidade. Ele identificou um nível de performance otimizado, em que o indivíduo se sente imerso na atividade que executa, perdendo a noção do tempo e a sensação de fome, experimentando um êxtase pela simples prática dos seus talentos naturais.

Algo que provavelmente Leonardo Da Vinci, Michelangelo e outros artistas sentiam ao pintar seus quadros, ou o que o renomado arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, sentia ao construir seus projetos ou ainda o que a poetiza Cecília Meireles sentia ao fazer seus doces e escrever seus poemas.

Entenda que as pessoas de real sucesso, aquele que considera não o status, mas a plenitude, o resultado coerente e eficaz, são aquelas que acessaram e empregaram seus talentos inatos ao longo de sua existência.


De modo que, ampliar sua autoconsciência é fundamental no processo de autodesenvolvimento, de realização pessoal e até mesmo na construção de uma vida com mais saúde e bem-estar.


Gosto muito do trecho do filme “As invenções de Hugo Cabret” em que o personagem René Tarbat, falando sobre sua paixão por concertar coisas, aponta que considera que o mundo seja como uma grande máquina. Ele pondera que em uma máquina não existem peças sobrando, nem faltando, cada peça está ali por um propósito.

Assim também seria com os seres humanos, cada um de nós existe por um propósito dentro da unidade do universo, cada um tem um papel a ser desempenhado dentro da sociedade através de seus talentos naturais.

Algo semelhante ao que o teólogo e escritor Myles Munroe costumava ensinar em seus sermões e em suas obras. Ele defendia que cada ser humano foi criado por Deus para viver uma vida com significado e propósito. Ele dizia: Você veio à terra para fazer o depósito do seu dom!


Em outras palavras, você veio à terra para SER e só será feliz quando FOR! E ouso dizer ainda que o mundo só será feliz quando você se tornar quem você deve ser, pois assim a unidade funcionará de forma mais equilibrada, uma vez que você estará cumprindo o papel que cabe a você no ciclo da vida.

Ocorre, que temos de fato, uma grande dificuldade de nos conectarmos a este modo autêntico de existir, em que estamos alinhados ao nosso propósito de vida. Isto acontece, porque colocamos muitas expectativas e comparações nesta questão do ser. Porque associamos a qualidade das nossas entregas em nossa sociedade, as pessoas que estão no palco, fazendo coisas que geram muita repercussão e visibilidade.

Mas entenda, que estar no “palco” fazendo coisas absurdamente grandes, pode ser o proposito de algumas pessoas, mas não de todas.

É bastante possível que as coisas simples que podemos fazer diariamente, façam muita diferença para nós e para aqueles que nos cercam, se deixarmos de ignorá-las, de achá-las insignificantes.

Dia destes, conheci uma senhora aposentada, que caminhava pelas ruas do bairro recolhendo animais abandonados, ela então fez parceria com veterinários do bairro para tratar estes animais tornando-os qualificados para uma adoção. Depois, fazia parceria com supermercados para deixar estes animais expostos no estacionamento para que famílias que buscavam animais de estimação pudessem conhecê-los e assim, centenas de animais saíram da condição de abandono no bairro em que ela morava.

O dom desta senhora, era o acolhimento e ela tinha uma afinidade especial com animais e por ela entendeu este seu potencial inato e o colocou em prática, ela fez uma grande diferença na vida de muitos animais e das famílias que os receberam.

Isto é viver de forma autêntica!


E quanto a você? Qual dom você carrega em você? O que você pode começar a fazer para construir uma vida autêntica, aquela em que você emprega suas forças e virtudes e manifesta o seu dom?


Pense nisto. Coloque em prática.

Faça mais do que você ama!


Até mais,

6 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo