Sexualidade Saudável

Atualizado: Out 27


Quando falamos de sexualidade, estamos falando não apenas de sexo, mas de de energia extintiva, de vitalidade para a vida. Segundo Wilhelm Reich - médico, neuropsiquiátra e psicanalista, percursor da bioenergética, existe uma energia vital chamada “orgone” - um apócope das palavras orgasmo e organismo, e todos os conflitos dos indivíduos se originam por não deixar essa energia vital fluir livremente.

Para Reich, mente e corpo são uma coisa só, portanto, diferente do que defendia Freud, ele acreditava na importância de dar vasão a sexualidade humana - energia, como ferramenta de saúde e acreditava mais no poder do estimulo muscular do que nas palavras como ferramenta de cura emocional.

Reich defendia, que a energia sexual é justamente a energia vital, portanto, pessoas emocionalmente saudáveis, tendem a ter uma vida sexual ativa com seu parceiro amoroso, e maior prazer na vida de modo geral; enquanto, pessoas com problemas emocionais, tendem a ter a sua vida sexual comprometida e baixa energia vital.

A saúde mental de uma pessoa pode ser medida pelo seu potencial orgásmico”. _Wilhelm Reich

No ano de 2021, uma equipe de especialistas brasileiros do O Corpo Explica, realizaram uma pesquisa sobre sexualidade humana, que foi mensurada com base em dados estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde. Esta pesquisa apontou, que pessoas que estão em relacionamentos saudáveis com vida sexual ativa, tem maior qualidade de vida, indicando que a conexão entre duas pessoas, estimula e promove a troca de energia vital, favorecendo uma vida com resultados mais positivos.

A pesquisa também apontou uma relação entre sexualidade saudável e prosperidade financeira, visto que, as pessoas que apresentaram autonomia financeira, eram as mesmas que tinham um relacionamento saudável com vida sexual ativa.


Para nos apropriarmos e usufruímos desta energia vital, extintiva, que nos estimula a viver e obter resultados de forma prazerosa na vida, o autoconhecimento é uma ferramenta valiosa. Isto porque, como vimos, a relação que temos com a nossa sexualidade, tende a ser a relação que temos com a vida de modo geral, pois representa o quanto acessamos ou não a nossa energia vital.

Segundo Priscila Salomão, psicóloga e mestre em Sexualidade Humana pela FMRP-USP, em um ciclo sexual humano saudável, existem cinco fases de resposta: Desejo, Excitação, Platô, Satisfação e Resolução, conforme ilustração abaixo.

Assim como na vida, na atividade sexual, é importante vivermos os ciclos, ou seja, experimentar as cinco etapas da sexualidade com consciência, desfrutando de cada uma delas de forma plena e agradável. Este é o fundamento da sexualidade saudável.

Como veremos, também é possível traçar um paralelo entre a relação que temos com cada etapa da nossa sexualidade e os processos da vida.

Outro ponto importante a ser considerando antes de avançarmos no entendimento das etapas do ciclo da sexualidade humana saudável, são as informações apresentadas na figura acima, em relação as diferenças que existem no funcionamento do corpo feminino e masculino em cada uma destas etapas.


A. Desejo


Desejo é o nosso conhecido "tesão", é pensar e sentir vontade de sexo, seja por origem espontânea ou resultante de estímulos. Mas, as vezes o desejo não veem ou quando surge é reprimido, neste caso, temos um bloqueio na primeira etapa da sexualidade humana.

Ocorre que a castração dos desejos sexuais caminham em conjunto com a castração dos desejos de vida, de conquista, de crescimento e independência. Então, podemos afirmar que a falta de "tesão" na vida, tende a repercutir em falta de energia em todas as áreas e o oposto também é verdadeiro. Entre os principais fatores bloqueadores do desejo estão:

  • Educação sexual contrária: A sociedade defende conceitos equivocados sobre a sexualidade humana, cobrando os homens de uma sexualidade extrema e prematura e colocando sobre eles um peso de performance para serem aceitos como homens, enquanto as mulheres são castradas e tendem ao bloqueio sexual, o que gera uma disparidade entre os casais;

  • Repressão sexual: A relação do sexo com pecado, com algo sujo e pervertido, gera repressão sexual e a consequente anulação desta energia de prazer e vida;

  • Busca de pornô: Conteúdos sexuais oferecidos nos filmes pornôs, produzem uma visão distorcida da sexualidade humana, relacionando sexo a performance e apresentando realidades fantasiosas que podem gerar frustração e bloqueios;

  • Abuso sexual: O abuso sexual não se restringe apenas ao ato sexual em si com penetração, toques, carícias e olhares inadequados, mas a toda energia sexual que ultrapassa ao momento sexual de um indivíduo, como no caso das crianças por exemplo, quando expostas prematuramente a estímulos sexuais. Portanto, não é adequado dormir com os filhos na cama, tomar banho pelado com a criança ou dar beijo na boca das crianças. A criança exposta a estas situações, em especial na fase da puberdade, pode experimentar um desejo sexual que será reprimido por culpa e futuramente na vida adulta tenderá a reprimir a sua energia sexual.

Compreender estes processos limitantes vividos e como eles estão afetando o desejo em nossa vida, é parte do processo de cura. Quando nos abrimos para o desejo de modo geral, nos abrimos também para o desejo sexual e para o desejo de vida.

Dar vasão aos seus desejos, pode começar por pequenas atitudes, como a de dar vasão ao desejo de conhecer um novo lugar, de fazer uma viagem ou de provar um prato saboroso. É permitir-se ir além, sem bloquear os estímulos, as vontades, mas entender-se como digno de viver momentos de prazer na vida, de fazer conquistas e saber que tá tudo bem, que é assim que deve ser, sem culpas.

Então, o primeiro convite neste processo de autoconhecimento e busca de saúde e energia vital é voltar a sonhar, aceitar e alimentar os seus desejos e projetos de vida.


B. Excitação


A excitação é resultado do estímulo que damos ao desejo para mantê-lo vivo, por este motivo, podemos afirmar que a mente tem papel fundamental na sexualidade humana, para que o desejo ganhe força dentro de nós de forma livre e natural, é preciso não bloqueá-lo, e também alimentá-lo, usando a imaginação e isto acontece inclusive antes do ato sexual, sempre que buscamos informação sobre sexo ou conversamos a respeito com o nosso par amoroso. Oferecermos a nossa mente e ao nosso corpo, estes pequenos estímulos no dia a dia, ajuda o corpo a direcionar o sangue para região genital, mantendo o estímulo e favorecendo as preliminares futuramente no ato sexual.

Nesta segunda fase do ciclo sexual, o corpo esta se preparando para a penetração por meio da irrigação sanguínea e da lubrificação, no corpo masculino este processo de irrigação sanguínea acontece de forma mais rápida, já para as mulheres este processo é mais lento porque a mulher precisa de mais sangue para ter esta excitação, por este motivo, precisa de mais preliminares do que o homem.

Para otimizar a fase de excitação, é importante conhecer o seu corpo e as zonas erógenas que funciona como gatilhos para a excitação sexual e podem ser estimuladas nas preliminares.

As principais zonas erógenas do corpo feminino são Clitóris, Ponto G e Mamilos. Diferente do que a maioria das pessoas sabe, a pequena ponta, que é o que sempre se acreditou ser o clitóris, é na verdade a ponta de um "iceberg", a parte que fica para fora é a glande do clitóris (localizada nos pequenos lábios, 'escondida' sob um capuz) e o resto é um órgão interno. A parede vaginal, é na verdade, o clitóris", explica à BBC Mundo a psicóloga e sexóloga basca Laura Morán. O clitóris tem um formato e funcionamento muito similar ao do pênis masculino, como podemos ver na ilustração acima, portanto, toda esta área genital pode ser estimulada para promover a excitação. Já nos homens, as principais zonas erógenas são a glande (cabeça do pênis) e saco escrotal. Alguns homens também tem uma boa sensibilidade na região dos mamilos.

É importante considerar que temos terminações nervosas em todo o nosso corpo, portanto, o toque e as caricias funcionam como estímulo em qualquer área do corpo, além disto, podemos explorar todos os cinco sentidos com sons, toques, cheiros, sabores e recursos visuais. Tudo isto, prepara o corpo para as próximas etapas do ciclo da sexualidade humana.

Entre os principais bloqueios a excitação estão:

  • Não desejar de verdade: Se não existe conexão real, amor e desejo de troca de energia com o seu parceiro amoroso, a excitação tenderá a ser comprometida;

  • Medo de não desempenhar: A preocupação excessiva com a performance, pode bloquear a imaginação e o foco no momento vivido, gerando ansiedade e bloqueando o processo de excitação;

  • Sobrecarga de tarefas: O excesso de preocupações, de atividades e mesmo o cansaço físico e emocional, podem prejudicar o comprometimento com o estímulo ao desejo que conduzirá a excitação;

  • Falta de afagos sexuais: Se a excitação é resultado do estímulo que damos ao desejo, sem estímulos, o desejo será enterrado e o ciclo da sexualidade será interrompido.

A excitação é resultado da energia que colocamos sobre o desejo! - Priscila Salomão

Quando nos abrimos para a excitação, aprendemos a não bloquear os nossos impulsos e a nos entregar a desfrutar o momento, colocando foco no presente.

Você pode treinar acessar a sua excitação pela vida, estimulando os seus cinco sentidos e se permitindo ter prazer, provar alimentos e bebidas diferentes e saborosas, ouvir música de qualidade, as suas preferidas, dançar curtindo os movimentos, se divertindo e explorando o seu corpo, experimentar banhos quentinhos seguidos de massagem, pisar na terra, cheirar as flores, tocar a natureza e experimentar as diferentes sensações. Tudo isto é extinto, é energia sexual e vital fluindo dentro de você. Permita-se!


C. Platô


A terceira etapa do ciclo da sexualidade humana é a etapa de execução do ato sexual, onde o casal desfruta de prazer com os movimento do corpo.

Nesta fase, as mulheres experimentam um aumento gradativo do prazer, enquanto os homens experimentam estabilidade e por este motivo podem ficar ansiosos e preocupados com medo de perder a ereção, que tende a acontece sempre que os estímulos oferecidos nesta fase, não são suficientes.

Estar entregue e presente de corpo e mente será fundamental para que a fase do platô flua de maneira positiva, portanto, é importante evitar preocupações, e isto pode significar por exemplo não estar preocupado ou com medo de uma possível gravidez, tendo planejado os métodos contraceptivos antecipadamente, bem como estar em um ambiente seguro que promova o relaxamento.

O platô é a parte do prazer que dá trabalho e a parte do trabalho que leva a mais prazer ainda! _ Priscilla Salomão

Entre os principais bloqueios na fase do platô estão:

  • Não focar no momento atual: Mente vagueando com preocupações, distraem e tiram o foco do momento presente, impedindo que esta fase do ciclo seja experimentada de forma saudável;

  • Falta de prazer no caminho: É importante que exista prazer no caminho e não apenas no resultado final, estar entregue e se divertir com as possibilidades deste momento é fundamental para um resultado positivo;

  • Preguiça: Esta é uma fase não tão espontânea, que exige empenho e entrega e existe o risco de que o casal não tenha a disposição necessária para viver esta fase, tentando pular etapas. A consequência disto é um sexo totalmente focado na genital, sem conexão intensa, mulheres fingindo orgasmos e servindo de objetivo de masturbação e homens agindo de forma ansiosa e desfrutando uma energia menor do que a que poderiam acessar;

  • Colocar a culpa no outro: É preciso que cada indivíduo assuma a responsabilidade pelo seu prazer, conhecendo o seu próprio corpo e buscando estabelecer uma comunicação de qualidade com o seu par, sem acusá-lo pelo insucesso da relação. Colocar a culpa no outro, é uma forma de negar ou fugir da própria realidade.

Se entendemos que o platô é uma fase em que empenhamos prazer em explorar e movimentar o corpo, explorar no dia a dia outras atividades que envolvam a movimentação do corpo como danças e atividades físicas de um modo geral, darão maior flexibilidade, vitalidade e conexão com a sua energia física, favorecendo tanto esta fase do ciclo sexual, como a conexão com o seu corpo de forma geral e esta conexão com o corpo esta relacionada a nossa capacidade de ação.

Dançar com o seu par também pode ser uma atividade muito saudável que favorecerá a interação, sincronia e a capacidade de guiar e se deixar ser guiado.

Na vida, viver esta etapa da sexualidade é compreender a importância de curtir o processo, é entender a felicidade como um caminho e não apenas como um resultado final.

D. Satisfação


Esta é a penúltima fase do ciclo da sexualidade humana, onde acontece o tão desejado "orgasmo" - a onda mais intensa de prazer, como resultado de uma conexão profunda e da entrega entre o casal. É importante considerar, que cada experiência é única e por isto, é importante que não se tenha expectativa de experiências semelhantes, mas deixar a energia do corpo fluir, afim de experimentar a singularidade de cada momento, sabendo que quanto maior o relaxamento e entrega, mais positivo será o resultado promovido pela conexão entre o casal.

Se entregar para o outro é se entregar para você! _ Priscilla Salomão

Entre os principais bloqueadores da fase de satisfação estão:

  • Falta de relaxamento: Se o corpo e a mente não estiverem completamente relaxados, a experiência do orgasmo será comprometida;

  • Falta de entrega e/ou excesso de controle: Se a mente estiver preocupada com a performance, com a aparência ou tentando manter o controle da situação, não haverá uma conexão profunda para que de fato ocorra uma troca de energia satisfatória. Portanto, é importante deixar-se comandar pela energia do corpo.

Seguido do orgasmo, o corpo masculino experimenta a ejaculação - liberação de espermatozoide. Algumas mulheres também podem ejacular - liberação de fluídos a partir da vulva, neste caso, a presença ou não da ejaculação e a intensidade no corpo feminino depende da anatomia do corpo de cada mulher.

É importante que as mulheres saibam que este é um processo saudável do corpo e que a ejaculação, caso exista para a mulher, não deve ser retida, mas deve sair livremente para evitar cólicas após o ato sexual.

Nesta fase, algo que pode ser desconfortável para o casal é o fato de eles experimentarem o orgasmo - "gozar" em momentos diferentes, mas, isto é perfeitamente normal e se acontecer é importante que aquele que já experimentou este ápice, desfrute desta sensação e continue estimulando o seu parceiro até que ele também chegue ao orgasmo.

A capacidade de entregar-se, de abrir mão do controle e estar vulnerável e aberto ao prazer torna a vida mais leve. Pessoas que não estão abertas ao prazer, até desejam, até se excitam com estes desejos e os fazem acontecer, porém, tendem a ter dificuldade de desfrutar de suas conquistas por medo da entrega, por medo da frustação ou simplesmente por não estar habituado a se permitir ter prazer na vida.

Portanto, existe uma vulnerabilidade que precisamos estar dispostos a viver nas relações e na vida, para usufruir do melhor que ela pode nos oferecer e ser vulnerável inclui arriscar-se, expor suas fraquezas e abrir mão do controle. Podemos treinar isto por meio de atividades em grupo, dança de casal e outras circunstâncias em que nos permitimos ser liderados ou nos entregarmos a situações, a pessoas e sensações. As amizades e os relacionamentos familiares, sem dúvida também são importantes treinamentos para esta nossa capacidade de expor nossas fraquezas, nossas limitações e entender que somos aceitos e amados ainda assim.

E. Resolução


O orgasmo promove a liberação de hormônios como Ocitocina e Endorfina, responsáveis pela sensação de prazer, bem-estar e por fortalecer a conexão entre o casal. Portanto, é natural que após a fase de solução o homem experimente um momento de relaxamento e que ambos possam acessar emoções e sensações de alegria, vontade de rir, ou mesmo um choro que pode ser resultado desta energia que fluiu pelo corpo rompendo bloqueios nesta última etapa do ciclo sexual.

Diferente dos homens que experimentam um momento de descanso após o orgasmo, as mulheres tem potencial para retomar a excitação e experimentar orgasmos múltiplos - ter vários orgasmos de maneira repetida e em maior quantidade durante o ato sexual. Alguns homens também têm esta experiência, porém é algo mais raro.

Caso a mulher já tenha experimentado um primeiro orgasmo, o clitóris estará mais sensível, portanto, neste caso o estímulo deve ser direcionado a outras regiões do corpo ou genital caso o casal decida continuar a atividade.

O momento de resolução, é o momento em que o ato sexual terminou, mas, a sensação de satisfação e relaxamento permanece. É quando o corpo liberou sua energia acumulada e precisa de um novo período para acumular esta energia novamente.

Na vida, precisamos aprender a guardar os benefícios das experiências positivas em nós, deixar que o seu efeito benéfico se expanda em nossa mente, corpo e emoções.

Guardar energia para uma próxima experiência também é importante, nos mantem em equilíbrio. Se estivermos a todo momento liberando energia, sem nos darmos esta pausa para recarregar as baterias e colocar novamente esta energia em alta, podemos estabelecer uma relação negativa com a nossa sexualidade, que nos trará uma necessidade excessiva de descarga podem promover vícios e dependências que não serão saudáveis.

Este entendimento de que é necessário desejar, excitar o desejo, trabalhar para ampliar o desejo, permitir-se viver o seu ápice e também descansar, recarregar as baterias é fundamental para que haja equilíbrio entre carga e descarga, entre responsabilidade e prazer, na vida e nas relações.

Como vimos, muitos traumas e bloqueios da vida humana, estão relacionados a questões da sexualidade, portanto, entender quais são estas travas que estão nos limitando na vida e nas relações afetivas, é sem dúvida, um processo fundamental para ampliarmos nossa qualidade de vida.

Aqui, você viu um panorama geral sobre o assunto, mas, a proposta é de que você continue buscando informações e ampliando o conhecimento do seu corpo, livrando-se de culpas ou vergonhas e entendendo a sexualidade como parte da vida e do processo de manutenção da saúde e da vitalidade.

É importante considerarmos, que o conhecimento sobre a sexualidade humana, é válido tanto para quem já tem um parceiro(a) amoroso(a) e uma vida sexual ativa, como para quem ainda esta solteiro(a) e não iniciou a sua vida sexual, mas deseja preparar-se para construir uma vida a dois que inclua uma sexualidade saudável.

Lembre-se, uma vida abundante, deve contemplar todas as áreas da vida humana! Se você identificar, que existem bloqueios nesta área da sua vida, não hesite em procurar ajuda especializada. Você pode contar com o suporte de uma ginecologista - para mulheres ou urologista - para os homens para tratar as questões físicas relacionadas a sua sexualidade. Já nos casos relacionados a bloqueios emocionais e psicológicos, você pode contar com a ajuda de um profissional de psicologia especializado em sexualidade humana ou de uma sexóloga. Em amor,

3 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo